quinta-feira, agosto 26

Brasil marca presença na Conferência Mundial de Juventude no México

Evento conta com debates entre lideranças políticas e autoridades e evidencia o protagonismo da juventude.

Começou nesta semana a I Conferência Mundial de Juventude, que acontece até a próxima sexta-feira (27), na cidade de León, no México. O evento vai reunir jovens e representantes da sociedade civil, governos e parlamentos de 194 países para um amplo debate sobre as políticas juvenis em todo o mundo. O encontra marca as comemorações da Organização das Nações Unidas (ONU), que elegeu 2010 como o Ano Internacional da Juventude, com o objetivo de estimular o diálogo entre gerações e incentivar os jovens a promoverem o progresso, com ênfase nas Metas do Desenvolvimento do Milênio. O ministro Luiz Dulci, da Secretaria-Geral da Presidência da República, e o secretário nacional de Juventude, Beto Cury, estarão presentes na Conferência, onde participam do Fórum de Governo. O Brasil está representado, ainda, por membros do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve).

A Conferência Mundial de Juventude, no México, foi precedida da Pré-Conferência das Américas, organizada pelo Brasil a pedido do governo mexicano, em reconhecimento à atuação do país nessa área. O evento foi realizado em maio de 2010, na cidade de Salvador (BA), com a presença de 26 países das Américas, além da Espanha e França, que participaram na condição de observadores. O encontro resultou em um documento intitulado "Carta de Salvador", que elenca as propostas dos países das Américas para a Conferência Mundial. A carta selou o compromisso entre governo, sociedade civil e parlamentares dos países presentes, reforçando a importância do tema na agenda das políticas públicas no continente americano.

A "Carta da Bahia" reuniu uma série de propostas focadas nos seguintes pontos: gestão das políticas nacionais de desenvolvimento; enfrentamento da miséria, da pobreza e da exclusão; Trabalho e Emprego; Educação; Acesso dos Jovens à Tecnologia e Inovação; Saúde como fator de inclusão; equidade de gênero; segurança e promoção dos Direitos Humanos; desenvolvimento sustentável; integração internacional; participação cidadã e associativismo, além da cooperação internacional da juventude.

A Conferência do México dará maior visibilidade ao tema, estimulando novos esforços para que os jovens sejam, de fato, protagonistas no processo de desenvolvimento, não só nos países das Américas, mas em todo o mundo. Segundo o secretário nacional de Juventude, Beto Cury, para que isso ocorra, de fato, é preciso que todos os governos, em parceria com a sociedade civil, busquem soluções para os problemas que afligem os jovens e desenvolvam ações que lhes assegure, entre outros, o direito à educação, saúde, trabalho e oportunidades de participação efetiva na construção das políticas públicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário