quarta-feira, setembro 8

O “Zé” dá mais um tiro no pé

Messias Pontes *

O pior cego é aquele que não quer ver. E é justamente isto que está acontecendo com o candidato da oposição conservadora de direita (PSDB, DEMO, PPS e o maior deles, a grande mídia conservadora, venal e golpista), José Serra, ou simplesmente o “Zé”. Todo mundo está vendo que a campanha dele está dando errado desde o início, mas ele insiste no erro.

Depois do fracasso da tática eleitoral do pós-Lula, passou a usar a mentira como principal arma de campanha. Não dando certo, passou a atacar insanamente a sua principal opositora, Dilma Rousseff (PT, PMDB, PCdoB, PSB, PRB, PR, PDT. PSC, PTC e PTN) com calúnias, injúrias e difamações.

Sempre com o apoio do maior partido de oposição, nos últimos 15 dias o “Zé” acusa, sem prova nenhuma, que a Dilma e o PT são os responsáveis pela quebra do sigilo fiscal de tucanos e da sua filha Verônica, a ex-sócia do mega-guabiru Daniel Dantas. Apesar da certeza da fragorosa derrota, mesmo assim o “Zé” ainda alimenta a esperança de poder virar o jogo e levar a eleição para o segundo turno.

Como um afogado que busca qualquer coisa para agarrar, o candidato demotucano não percebe que quanto mais ele se bate, mais vai para o fundo. A insistência na questão da quebra de sigilo fiscal chega a ser irracional, tanto que ele usa dois terços do seu tempo no rádio e na TV falando sobre o assunto, e o pouco tempo que resta ele usa mentindo, afirmando ser da lavra dele, sem ser, o Fundo de Amparo ao Trabalhador, os genéricos e outros programas.

Quando o “Zé” anuncia o que vai fazer como presidente ninguém acredita, pois tudo o que diz soa falso como uma nota de três reais, dada a perda crescente de credibilidade. Ele está apelando pra tudo, pois não se conforma perder a última oportunidade de sentar na cadeira mais cobiçada do País. O desespero é maior na medida em que a distância entre ele e Dilma ultrapassa os 30 pontos percentuais. Ademais, foi abandonado pelos próprios correligionários que fogem dele como o diabo foge da cruz.

Os jornalões como a Folha, o Globo, o Estadão e a panfletária Veja, todos a serviço do “Zé”, continuam ocupando os espaços mais nobres, notadamente a capa, para demonizar Dilma e o seu partido, acusando, sem provas e omitindo a verdade. Os telejornais da Globo, então, estão dando verdadeiras aulas de antijornalismo. Daí ver a sua audiência despencar.

Para se ter uma pequena ideia do ódio das famíglias Marinho, Frias e Mesquita, vejamos as manchetes de 1ª página do último sábado:

Globo – Contador estava no PT quando acessou sigilo da filha de Serra;

Folha – Dado sigiloso da filha de Serra foi obtido por filiado ao PT;

Estadão – Dilma parou de subir, Serra de cair.

A cantilena desses jornalões não para e se repete todo dia sem o menor pudor. Ontem os três jornalões estamparam na 1ª página essas manchetes:

Globo – TER desmente PT e diz que contador não foi desfiliado;

Folha – TER desmonta a versão do PT sobre falso procurador;

Estadão – Serra diz que Lula fez deboche com quebra de sigilo na Receita.

As manchetes do Estadão chegam a ser mais mentirosas que as demais. Dilma continua subindo e Serra caindo. Nos últimos sete dias, de acordo com o Vox Populi, Dilma subiu de 51 para 56 pontos percentuais, ao passo que o “Zé” caiu de 25 para 21pp. Portanto a diferença, em uma semana, pró Dilma, aumentou nove pontos.

O último fiozinho de esperança do “Zé” é uma armação do complexo Globo, Folha, Estadão e Veja às vésperas da eleição com um factóide surpreendente: “Foi a Dilma quem planejou a morte da Eliza Samudio com o goleiro Bruno”. Ou então o Jornal Nacional apresentar os pais do soldado Mário Kozel dizendo ter provas que foi a Dilma que o matou em frente ao quartel do II Exército. Ou ainda a Folha sair com a manchete: Campanha da Dilma é financiada com dinheiro da cocaína da Bolívia. A Globo e a CBN vão repetir esse “furo” a cada meia hora como fez em 2006 com o dinheiro do falso dossiê dos aloprados.

Um dos grandes pecados dessa gente é menosprezar a inteligência do povo. Houve quebra de sigilo de centenas de pessoas, mas o “Zé” e sua mídia dizem que foi só dos tucanos e da filha dele. Até o momento nenhum órgão de imprensa apresentou uma única prova, mostrando pelo menos uma evidência, com dados concretos. O caso é semelhante ao grampo da conversa do ministro Gilmar Mendes (ou Gilmar Dantas, conforme Ricardo Noblat) com o senador Demóstenes Torres (DEMO-GO) denunciado com alarde pela Veja, cujo áudio nunca apareceu.

Aqui no Ceará, a oposição ao governador Cid Gomes tem repetido o mesmo erro do “Zé”, desperdiçando o seu tempo na propaganda eleitoral no rádio e televisão com críticas ao Governador e ao seu governo. Em certo sentido, a hipocrisia aqui chega a ser até superior à do “Zé”, pois quem participou do atual governo até final de março e sempre o elogiou, inclusive defendendo a sua continuidade, agora, raivosamente, o demoniza.

Contudo, o povo percebe essas incoerências e tem dado o troco. Basta ver as pesquisas de todos os institutos. A Dilma, em nível nacional, e o Cid Gomes, no Ceará, estão iguais a clara de ovo: quanto mais batem, mas eles crescem. E o “Zé” em queda livre.

É mais um tiro no pé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário